You are here

Joseph Smith: O Fundador do Mormonismo

Printer-friendly version

Joseph Smith: O Fundador do Mormonismo

O Guia Fundamental para o Mormonismo, Parte 1

Joseph Smith Jr. (1805-1844) nasceu em 23 de dezembro de 1805, em Sharon, no Estado americano de Vermont, no. Quando ainda era menino, sua família moveu-se para Manchester na parte ocidental de Estado de Nova York.

Em setembro de 1827, Joseph, então com 21 anos, relatou que um anjo lhe havia confiado certas placas de ouro sobre as quais foram escritas antigas escrituras pertencentes a um povo israelita que havia migrado para as Américas seis séculos antes de Cristo. Ao longo dos próximos dois anos, Joseph produziu uma versão em inglês desses registros, que chamou de O Livro de Mórmon, uma tradução das placas de ouro com alegada ajuda sobrenatural. Amigos próximos e membros da família afirmaram que Joseph colocou uma pedra mágica em seu chapéu e então ditou a um escriba as palavras que apareciam sobre esta pedra vidente quando ele colocava seu rosto no chapéu.

 Joseph via-se como um profeta inspirado, e declarou mais de uma dúzia de mensagens proféticas durante o período em que produzia sua tradução sobrenatural. No final de março de 1830, Joseph começou a vender cópias do Livro de Mórmon.

Algumas semanas mais tarde, Joseph Smith fundou o que chamou a Igreja de Cristo em Fayette (ou em Manchester, Nova York), em 6 de abril de 1830. Ao estabelecer "a Igreja de Cristo" em pleno século XIX, Joseph não se via como iniciando uma nova Denominação Cristã; nem estava tentando iniciar um movimento que transcendesse as linhas denominacionais (como era o caso do Movimento da Restauração ou "Igreja de Cristo" de Stone e Campbell, que estava em seus primeiros anos na época). Pelo contrário, Joseph afirmou ser o profeta da única e verdadeira igreja restaurada. Ele renomeou a igreja duas vezes, finalmente estabelecendo-se em 1838 sobre o nome de “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”.

Fatos-chave na vida de Joseph Smith


1820    A suposta "primeira visão"
1827    Smith relata encontrar as placas do Livro de Mórmon
1830    Smith publica o Livro de Mórmon, estabelece a Igreja SUD
1836    O primeiro templo dos SUD é dedicado em Kirtland, Ohio
1839    Os Mórmons mudam-se para Nauvoo, Illinois
1843    Smith entrega uma revelação autorizando o casamento plural (poligamia)
1844    Smith e seu irmão Hyrum são mortos na prisão

Joseph Smith continuou a emitir revelações durante o resto de sua vida. Uma coleção de tais revelações consta em um livro chamado Doutrina e Convênios, que é tido pelos Mórmons como Escritura. Dos 138 capítulos deste livro, Joseph produziu todos menos três; e um pouco mais de 100 foram produzidos antes de 1834.

A revelação mais controversa de Joseph se referia à "Primeira Visão", uma experiência que ele alegava ter tido como adolescente na primavera de 1820. Segundo o relato oficial, escrito em 1838 e publicado pela primeira vez em 1842, o adolescente Joseph, confuso pelos diferentes denominações durante um avivamento, tinha ido para o bosque para perguntar a Deus a qual igreja ele deveria se unir; ele teria sido respondido com uma visão de Deus, o Pai e Jesus Cristo. O relato - parte de outra escritura conhecida como Pérola de Grande Valor - relata que Jesus disse a Joseph para não se juntar a nenhuma das igrejas.

Na primeira versão conhecida e manuscrita da história, datada de 1832, Joseph relatou que ele tinha ido para o bosque buscando o perdão dos pecados porque ele já havia concluído que todas as igrejas estavam erradas e que ele foi respondido com uma visão de "O Senhor" assegurando-lhe a sua salvação. Há várias boas razões para questionar se Joseph realmente teve tal encontro: grandes contradições entre esses dois relatos (ambos originados do próprio Smith), evidências que mostram que não houve “reavivamento” na área em que Joseph habitava durante o período em questão e falta de evidência de que qualquer pessoa ouviu qualquer versão desta história da Primeira Visão antes de 1832.

Se Smith via seres sobrenaturais, no entanto, de uma perspectiva cristã ortodoxa não poderiam ter sido o Pai e o Filho. Os Mórmons entendem que a aparição demonstra que o Pai e o Filho são dois Deuses separados, que Deus o Pai tem um corpo de carne e osso, e que Jesus disse a Joseph que todas as igrejas estavam erradas e que seus credos eram todos abominações. Estas afirmações contradizem o ensinamento da Bíblia de que o Pai eo Filho são um Deus (por exemplo, João 1: 1; 10:30), que Deus é Espírito (João 4:24), e que a igreja de Cristo continuaria até o fim das Eras (Mateus 28: 18-20).

Quase imediatamente depois que fundou a igreja SUD, Joseph Smith passou a conduzir seus seguidores para o oeste, primeiramente a Kirtland, Ohio, onde o primeiro templo Mórmon foi construído, então a Far West, Missouri, e mais tarde a Commerce, Illinois que rebatizaram Nauvoo. Na medida em que o tempo passava, a igreja crescia rapidamente, porém Joseph e os Santos ficavam cada vez mais em apuros com a lei; ele foi até mesmo aprisionado por um período de tempo. Em Nauvoo, formou uma milícia da qual ele mesmo era general. Entre 1841 e 1843, Joseph, que pode ter praticado poligamia em segredo já em 1831, "casou-se" com pelo menos trinta mulheres - incluindo muitas que permaneceram legalmente casadas com outros homens.

Durante este mesmo período Joseph Smith produziu novas escrituras e começou a ensinar que muitos deuses fizeram o mundo. Em um notório sermão chamado Discurso do Rei Follett em 6 de abril de 1844, Joseph ensinou que o próprio Deus o Pai não tinha sido Deus, mas era um homem que se tornou um Deus pelo mesmo processo de exaltação pelo qual os seres humanos foram feitos para se tornar Deuses . Esses acontecimentos, especialmente a poligamia, levaram a crescente dissidência dentro do movimento Mórmon, bem como pressões legais e sociais de fora, e trouxeram o movimento à sua crise mais grave. Em 10 de junho de 1844, Joseph Smith ordenou a destruição de um jornal dissidente, o Nauvoo Expositor, o qual teve apenas uma publicação. A legalidade desta e de outras ações tomadas por Joseph ainda é motivo de debate.

Em 25 de junho ele foi preso em Cartago, Illinois, e dois dias depois uma multidão invadiu a prisão. Joseph e seu irmão Hyrum foram mortos; Embora eles tenham sido mortos em uma batalha de armas (com Joseph conseguindo ferir um dos atacantes), os mórmons os consideram como mártires.

Os mórmons consideram Joseph Smith o Profeta da Restauração e o maior homem que já viveu, excetuando apenas Jesus Cristo. Sua base para essa crença é essencialmente sua experiência espiritual subjetiva, o "testemunho" que eles acreditam que Deus lhes deu para confirmar as afirmações de Smith. De um ponto de vista cristão ortodoxo, Joseph Smith ensinou claramente doutrinas não bíblicas, publicou falsas profecias (por exemplo, que um templo seria construído no lote do templo no condado de Jackson, Missouri, antes daquela geração morrer) e instituiu práticas não bíblicas e antiéticas (em especial a poligamia). Com base nestes problemas, os cristãos ortodoxos vêem Joseph Smith como um falso profeta.